Autoconhecimento: um princípio necessário no mundo dos negócios e como obter

Responda rápido: você conhece os seus valores? Você sabe o que lhe satisfaz e o que te desarmoniza? Você sabe os seus pontos positivos e o que pode fazer melhor? Qual o seu propósito de vida? Estar aberto a se conhecer é fundamental no mundo dos negócios. Hoje convidei duas especialistas, extraordinárias neste assunto, para falar sobre a importância do autoconhecimento em cargos de liderança.

autoconhecimento

Já repararam o quanto é muito comum, principalmente nas micro e pequenas empresas, encontrar gestores que não tem experiência em fundamentos básicos de liderança, como saber delegar ou dar feedbacks aos funcionários. “Quando você está sentado numa cadeira de liderança uma das primeiras coisas é buscar o desenvolvimento humano e pessoal”, segundo a psicóloga da Clínica Dra. Cintia Cunha Dra. Vera Lúcia Machado.

Ela afirma que entender as próprias limitações, sentimentos e emoções, é um princípio básico para uma relação fluida com seus liderados. “Só é possível ganhar a confiança de uma equipe quando o líder está muito seguro de quem é e sabe que, em determinadas situações, um subordinado poderá saber mais do que ele e está tudo bem. A arrogância do líder, nesta situação, pode tornar-se uma auto sabotagem que o impedirá de ter uma liderança saudável no mundo corporativo”.

Agora se “auto”confiança é confiar em si mesmo, você acredita que é possível confiar em quem ou no que você não conhece? Naturalmente não. Para confiar é necessário conhecer. Então: conheça-te!

Como desenvolver o autoconhecimento?

Outro dia, conversando com a Coach e Trainer em Neurolinguística Léa Macedo ela me explicou que, “somos mais autoconfiantes quando sabemos especificamente quem somos. Isso implica conhecer nossos pontos fortes e nossos pontos fracos, nosso propósito de vida, nossos objetivos em cada área da vida de acordo com cada fase dela”.

Saber o que nos afeta, como nos afeta, como lidamos com isso e quais recursos utilizamos é fundamental para desenvolver o autoconhecimento. Mas conhecer-se bem é só o ponto de partida. Para irmos a fundo nessa jornada pedi pra Léa compartilhar com vocês um exercício que me ajudou há um tempo.

VEJA MAIS DETALHES SOBRE CADA UM DESTES PASSOS:

1. Identifique e combata as crenças limitantes que são aquelas informações repressoras sobre nós mesmos e que ficam rodando em nossas mentes, influenciando incisivamente nossos pensamentos e sentimentos, determinando motivações atitudinais também de natureza repressora;

2. Desenvolva estratégias para transformar pontos fracos em pontos fortes;

3. Principalmente em cargos de liderança, tenha clareza de que ser um grande líder tem mais a ver com reconhecer-se como pessoa humana diante de sua equipe e, por isso, saber que não será perfeito. Poderá não ter todas as respostas ou soluções, ou todos os acertos em suas atitudes, e ainda assim passar o respeito e a segurança de ser guia e exemplo para seus liderados;

4. Ter autoconfiança é saber e sentir que você pode ser o que precisa ser e fazer o que precisa fazer. É se sentir e mostrar-se capaz em si mesmo, ainda que externamente tudo pareça improvável, pois o autoconfiante encontrará a forma de fazer acontecer; É acreditar na sua própria capacidade realizadora: do mais simples ao mais complexo; do pequeno ao grande, do agora para o depois.

5. Um líder autoconfiante conduz a sua equipe sem medo de ser quem é. Lidera em co-construção com sua equipe, pois sabe que não produz resultados sozinho e portanto estimula a co-participação dos seus liderados em suas potencialidades.

6. O líder autoconfiante caminha lado a lado com sua equipe, assumindo a vanguarda e a retaguarda das ações conforme a necessidade de cada contexto, demostrando uma flexibilidade inerente à própria segurança de suas ações.

Gente, autoconhecimento é um aprendizado constante, sempre atento às demandas de desenvolvimento do ser. Pedi a Léa Macedo para elaborar um exercício rápido de autoconhecimento e autoliderança. Com papel e caneta na mão, aqui vamos nós!

Etapa 1: com papel e caneta na mão reflita!

1. Qual pensamento é mais comum em sua mente quando o assunto é liderança?

2. Quais são os 3 elogios mais frequentes que você recebe de sua equipe?

3. Qual a qualidade em você que mais desperta admiração, se não em todos, na maioria dos membros de sua equipe?

4. Quais são suas 3 competências mais fortes como líder?

5. Sua equipe diria o mesmo?

6. Qual o seu maior ponto fraco? Aquele que repetidas vezes prejudica o seu melhor desempenho como líder?

7. O que você realmente pensa sobre sua equipe quando o resultado não é alcançado ou quando algo dá errado?

8. O que você realmente pensa sobre sua equipe quando algo dá certo?

9. E quando o resultado é alcançado?

10. O que exatamente, se fosse diferente em você, tornaria sua liderança extremamente eficaz?

11. Quando você está em seu melhor momento como líder o que você está fazendo? Quais são suas atitudes, pensamentos e sentimentos neste momento?

12. O que especificamente em você, como líder, inspira seus liderados?

Etapa 2: analise suas respostas!

Preste atenção na sensação e no que elas geraram em você. Em seguida, escreva discernindo de um lado seus pontos fortes e de outro os pontos fracos. Depois avalie qual ponto forte pode ajuda-lo a transformar seu ponto fraco em mais um ponto forte. Pense e defina uma estratégia para isso. Se possível conte com a ajuda de um profissional em coach para a realização efetiva desta jornada.

E você, se autoconhece? Se hoje você fosse promovida estaria preparada para assumir um cargo de liderança?

Informações para contato
Dra. Vera Lúcia Machado – 34 3236-0500
psiconet@zipmail.com.br

Informações para contato
Léa Macedo – 34 9992-4743
crescerconsult@hotmail.com

Beijos,

Dra. Cintia Cunha

[*Este é um post feito em parceria com Dra. Vera Lúcia Machado e Léa Macedo]

comments

Postagens Relacionados

;